19 Results

bicicleta

Search

É CADA VEZ MAIS COMUM PEDALAR EM SÃO PAULO

A cada dia que passa, a cidade cosmopolita vê um aumento de ciclistas na rua.

Leia também:

Conheça São Francisco Xavier

Cuidado para não se tornar mais um obeso

Uma boa dica para quem busca alcançar a longevidade é praticar atividade física. A correria do dia a dia às vezes complica nesse objetivo.

De qualquer maneira, vale a pena pensar em deixar a preguiça de lado e começar a fazer uma caminhada ou uma boa pedalada até o seu trabalho, por exemplo.

Divido com você alguns locais que a cidade de São Paulo oferece aos ciclistas. Para efeito de curiosidade, hoje, de acordo com a Companhia de Engenharia e Trânsito (CET), existem 498,3 km de vias com tratamento cicloviário permanente, sendo 468 km de ciclovias e ciclofaixas e 30,3 km de ciclorrotas. E tudo indica que os números aumentarão ainda mais.

Se você busca, antes de mais nada se habituar a pedalar, comece aos domingos. Sim, os parques contam com a companhia da natureza e te incentivará.

Experimente percorrer a Ciclofaixa de Lazer –  funciona das 7h às 16h, para transitar de bicicleta entre os parques Ibirapuera (Avenida Pedro Álvares Cabral s/n – Vila Mariana), do Povo (Avenida Henrique Chamma, 420 – Chácara Itaim) e Villa-Lobos (Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros). O trajeto entre os endereços tem 13 km de extensão.

Se gostar da experiência, você pode repetir durante a semana. Siga, por exemplo do Parque do Povo até o Parque Villa-Lobos (e vice-versa) por meio da ciclovia do Rio Pinheiros, que possui banheiros, bebedouros e segurança em um trajeto totalmente plano.

O Centro também é uma ótima pedida. Já pensou fazer um programa de aproximadamente 6 horas? É mais ou menos esse tempo que levará para   conhecer o Parque da Luz, o Centro Cultural Olido (Avenida São João, 473 – Centro), a Galeria do Rock (Avenida São João, 439 – República), a Biblioteca Mário de Andrade (Rua da Consolação, 94 – República), o Theatro Municipal (Praça Ramos de Azevedo), o Vale do Anhangabaú, o Mosteiro de São Bento (Largo de São Bento, 48 – Centro), o Pateo do Collegio, o CCBB SPCentro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro), o Prédio da Prefeitura (Viaduto do Chá, 15 – Centro), o Largo São Francisco, a Catedral da Sé e, por fim, comer as delícias e olhar os artesanatos da feirinha da Liberdade (Praça da Liberdade).

Uma outra ótima ideia para pedalar em São Paulo, é pela Avenida Paulista. São quase 6 km de extensão (ida e volta) passando por vários pontos turísticos importantes da cidade.

Entre as atrações estão os museus e centos culturais Instituto Moreira Sales, (Avenida Paulista, 2424 – Bela Vista), MASP (Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista), Centro Cultural FIESP (Avenida Paulista, 1313), Itaú Cultural (Avenida Paulista, 149 – Bela Vista), Sesc Avenida Paulista (Avenida Paulista, 119 – Bela Vista), Casa das Rosas (Avenida Paulista, 37 – Paraíso) e Japan House (Avenida Paulista, 52 – Bela Vista) . Aproveite para conhecer também os parques Mário Covas e Trianon.

Vale lembrar que aos domingos, a avenida fica fechada para carros.

Na zona norte também tem lugar legal para passear de bicicleta. A ciclovia da avenida Cruzeiro do Sul parte da Avenida General Ataliba Leonel, ao lado do Parque da Juventude e tem pouco mais de 650 metros.

No trajeto, além de conhecer os encantos do Parque da Juventude, com a Biblioteca São Paulo, as pistas de skate, quadras e natureza, faça uma pausa no Sesc Santana (Avenida Luiz Dumont Villares, 579 – Jardim São Paulo) e olhe com cuidado para o Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU), com graffitis localizados na extensão da Avenida Cruzeiro do Sul, ao longo das estações Tietê, Carandiru e Santana, nos pilares de sustentação do metrô.

E talvez você ainda não saiba, mas o tradicional Minhocão – via expressa que liga a zona oeste ao centro de SP, fica fechada para a circulação de carros aos finais de semana.

Lá você pode andar de bike, correr, caminhar e até andar de skate e carrinho de rolimã.

Gostou? Então divulgue e vamos alcançar a longevidade de maneira saudável.

Até a próxima!!

Essa é uma ótima oportunidade para trocar o carro pela bicicleta

Leia também:

Cuidado para não se tornar mais um obeso

A Copa do Mundo não é apenas para te deixar trancado em casa, nos bares ou no trabalho. Ela pode servir para te ajudar a fazer uma atividade física, entre uma partida e outra da Seleção Brasileira.

Como assim? Bem,  o Banco Itaú em parceria com a Tembici, através do serviço Bike Itaú, oferece nos dias de jogos da seleção brasileira, tarifa zero no plano diário para você alugar uma bicicleta nas cidades em que o serviço existe.

O programa de nome bike sharing pode ser utilizado pelas pessoas que estão cadastradas no site do Itaú, no aplicativo Bike Itaú ou nos terminais de autoatendimento. Quem ainda não se cadastrou, vale a pena entrar na jogada.

Para quem não conhece o o programa, vale ressaltar que as regras para esse período dos jogos é o mesmo para o restante do ano – não existe limitação no número de empréstimos, porém o período não pode ser superior a uma hora de duração, com intervalo de 15 minutos entre uma utilização e outra. O descumprimento dessas regras resultará em uma multa de R$ 5 por hora.

No caso das partidas da seleção, a ação está válida desde o dia 10 de junho, quando o Brasil encarou a Áustria num jogo amistoso.

O projeto com essa ação promocional atende no estado de Pernambuco, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo – além do Bike BH, onde o sistema é operado pela Serttel.

Para os moradores de São Paulo, o plano diário tem o valor de R$8,00.

Faça parte e ajude a mobilizar seus amigos, parentes e pessoas de seu convívio a usar esse tipo de transporte saudável, ecológico e divertido. Na pior das hipóteses incentive pelo menos o uso do transporte público.

Um abraço e até a próxima! E vai Brasil!!

(Crédito: Divulgação/Yellow)
Serviço terá início em julho e ainda não definiu os valores

Leia também:

Programe-se para correr 5km com infláveis

5 cursos de qualificação por menos de R$83,00

 

E hoje, eu trago uma notícia que achei bem interessante para os moradores da cidade de São Paulo. A capital paulista, no período de julho à dezembro deste ano, receberá mais 20 mil bicicletas para compartilhamento em suas ruas. 

A responsável pela ação será a empresa de mobilidade  Yellow.  Dentre as diferenças para as bicicletas existentes hoje nas ruas é que estas poderão ser deixadas e novamente emprestadas fora de estações pré-definidas.  O motivo é o fato das bicicletas serem liberadas, através de um aplicativo de celular que cobrará um valor ainda a ser definido para o usuário.  

Como funcionará

As bicicletas poderão ser alugadas, após o usuário baixar o aplicativo em seu celular. Por ele, poderá então localizar as que estarão disponíveis para uso. Na bicicleta, o aplicativo fará uma leitura do código e após isso, o cadeado será aberto automaticamente. Nesse momento, o crônometro começará a calcular o tempo de viagem.

O usuário após o uso, poderá deixar a bicicleta em algum local que não atrapalhe a circulação, trancada com o cadeado para liberação do próximo usuário.

Mesmo ainda sem definir o valor que será cobrado, a ideia é aceitar o maior número possível de formas de pagamento, incluindo  também o Bilhete Único.

As bicicletas da Yellow terão GPS integrado para melhor localização e monitoramento pelo aplicativo.  Um outro diferencial é que para evitar furtos, todas serão equipadas com acessórios produzidos de forma específica para o modelo da empresa e que não correm o risco de serem usadas por outras marcas do mercado.

Nesse primeiro momento, as bicicletas serão disponibilizadas em todo centro expandido e a ideia da empresa é para ampliar a frota para até 100 mil unidades, com o objetivo de atender toda São Paulo.

Você pode estar se perguntando –  E a Prefeitura, liberou? De acordo com a empresa, sim, está tudo acordado e resta apenas o credenciamento para iniciar a implantação. A empresa pelo decreto do prefeito João Doria, será obrigada, assim como outras prestadoras desse serviço, a fornecer os dados das viagens à Prefeitura, além de garantir a liberação da bicicleta com Bilhete Único. 

Fique atento porque ainda tem muita novidade vindo por aí, como as iniciativas para instalação de novos bolsões para estacionamento das bicicletas.

Bora dar um rolê saudável e gerar uma nova cultura de locomoção.

Até a próxima!!

Estudo britânico conclui que andar de bicicleta reduz os efeitos do envelhecimento.

Leia mais:

O estudo acompanhou um grupo de 125 ciclistas amadores, com idades entre 55 e 79 anos simultaneamente com um grupo de adultos saudáveis das mais variadas idades que não praticam de maneira habitual alguma atividade física.

O curioso desse estudo foi a conclusão de que as pessoas que andam de bicicleta mantiveram a massa muscular e a força, além de não ter mudanças nos resultados de colesterol e mantiveram o nível de gordura no sangue preservados. No sexo masculino, os índices de testosterona continuou elevado.

Até aí você pode estar pensando que é normal, pois ter uma prática esportiva regularmente, a saúde sempre melhora. Sim, você está certo, só que andar de bicicleta surpreendeu os pesquisadores porque os efeitos se mostraram extensíveis ao sistema imunitário.

A explicação é a seguinte – A glândula timo, no qual tem como a principal função produzir células T,  conhecidas como os linfócitos T e considerada como uma das mais importantes do corpo humano, normalmente se atrofia por volta dos 20 anos. No caso dos ciclistas  “maduros” pesquisados , essa produção continuou a produzir tantas células T como uma pessoa mais nova.

Dados sobre o grupo de ciclistas:

  • Ciclistas do sexo masculino precisam ter a capacidade de pedalar uma distância de 100 km em menos de 6h 30m.
  • Ciclistas do sexo feminino precisavam pedalar 60 km em 5h 30m.

No caso do grupo de sedentários:

  • 75 indivíduos saudáveis com idades entre os 57 e os 80 anos.
  • 50 jovens adultos entre os 20 e os 36 anos.

Desta maneira é importante que não se tenha medo de praticar uma atividade física, independente da idade. Vale encontrar qual é a melhor que se adapte em suas condições atuais e ser feliz e viver cada vez mais. A longevidade está a favor de todos, basta entender que a idade chega para todos e que a idade mental é a que mais importa para o corpo aceitar o que é pedido.

Procure hoje mesmo um médico, um profissional de educação física e vença todos os seus limites.

Até a próxima!!

Bora pedalar de graça e ainda fazer o bem nesse próximo sábado?

Calma! Se você não tem o costume de pedalar, pelo menos vale a pena tentar nessa dica que te passo agora.

Leia também:

A importância de pedalar em família

Bicicleta também é transporte em São Paulo

Você já ouviu falar do Bike Tour SP? A empresa fundada em 2013 pelos irmãos André e Daniel Moral, oferece aos interessados, um passeio de bicicleta gratuito pela cidade de São Paulo.

O passeio é agradável, seguro e enriquecedor. Os participantes pedalam acompanhados por dois monitores e com um equipamento de áudio acoplado no capacete que informa dados e curiosidades das atrações culturais da cidade, em português, inglês e libras.

E o melhor – o Bike Tour SP empresta as bikes, os capacetes e outros equipamentos de segurança. De graça? Acredite, a contrapartida é a troca por 2kg de alimentos não perecíveis. Demais não é mesmo? Fazer atividade física, ganhar cultura e ainda fazer o bem a quem precisa.

Nesse dia 13 de abril, o Bike Tour apresenta seu mais novo passeio – Pedalada pelo Centro Novo. Trata-se de uma área do centro da cidade localizada a partir do Vale do Anhangabaú, tendo no Viaduto do Chá seu grande divisor do chamado Centro Velho, onde estão a Praça da Sé e o Mosteiro de São Bento.

E o porquê do nome? A justificativa é simples: no final do século dezenove e início do século vinte, era a parte do centro com construções mais recentes, para onde ele se expandiu naquela época.

Em contraposição aos edifícios mais antigos do centro velho, muitos relacionados à fundação da cidade, como o Pateo do Colégio, o centro novo começou a abrigar edifícios de linhas mais ecléticas e que seguiam o art-déco, movimento arquitetônico em voga a partir da década de mil novecentos e vinte. Mais do que isso, as construções do centro novo evidenciavam o momento econômico que vivia São Paulo naquela época, com suas elites enriquecidas pelo ciclo do café.

Inspire-se nesse belo trajeto. E saiba que se não puder ou conseguir pedalar, eles oferecem um trenzinho para pessoas com deficiência, mobilidade reduzida e idosos.

Trajeto

1. Praça das Artes
2. Sesc 24 de Maio
3. Teatro Municipal de São Paulo
4. Bar dos Arcos
5. Biblioteca Municipal Mário de Andrade
6. Galeria Metrópole
7. Edifício Itália
8. Edifício COPAN
9. Gastronomia no Centro
10.Praça da República
11. Minhocão
12. Praça Princesa Isabel
13. Estação Júlio Prestes e Sala São Paulo
14. Museu da Resistência e Estação Pinacoteca
15. Pinacoteca do Estado
16. Estação da Luz e Museu da Língua Portuguesa
17.Parque da Luz
18. Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Santa Efigênia
19. Largo do Paiçandu e a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos
20. Galeria Olido21. Galeria do Rock

 SERVIÇO

📌 Inscrição gratuita – www.centronovo.biketoursp.com.br

📌 Nós emprestamos a bicicleta

📌 Pedimos em contrapartida 2kg de alimentos não-perecíveis

📌 Local de saída – Praça das Artes – Avenida São João, 281

📌 Horários – 09h, 11h, 13h e 15h

📌Instagram do projeto —> @biketoursp

📌Instagram exclusivo dessa rota –> @biketoursp.centronovo

 Depois me conta a experiência, combinado!

Até a próxima!!

Você pode perder essa comédia de sucesso, afinal está de graça!!

Leia também:

Bicicleta também é transporte em São Paulo

Exposição de quadrinhos no MIS vai até dia 31 de março

Sucesso de público por onde passou e passa, já são quase 12 anos em cartaz, essa comédia irreverente faz sete sessões gratuitas no Centro Cultural Olido

Tudo começou em fevereiro de 2007. “Amigas, pero no mucho”, uma comédia de Célia Forte estreava no Teatro Renaissance inaugurando o horário da meia noite.

O sucesso foi tanto com elenco de atores interpretando as quatro amigas, que por cinco anos percorreu vários teatros de São Paulo, com temporada também no Rio de Janeiro.

Ganhou montagem baiana, com apresentações em várias capitais do nordeste e Angola. Tem seu texto traduzido para o espanhol, alemão e inglês.

Agora, as amigas fazem 7 sessões gratuitas no Centro Cultural Olido, até o dia 07 de abril.

Para se ter uma ideia dessa comédia, foram mais de 170 mil pessoas se divertindo com as incríveis situações criadas pela jornalista Célia Regina Forte sobre quatro mulheres da nossa época que tentam dar conta de tudo: do cotidiano, do corpo, da mente, do trabalho, da família e da amizade, causando inusitadas situações típicas do universo feminino.

A direção é de José Possi Neto e a composição musical de Miguel Briamonte. A epopeia se dá através do encontro de quatro amigas em uma tarde de sábado, onde todas – ou quase todas – as roupas sujas são lavadas por elas. Com humor cáustico, ironia e irreverência, elas falam sobre suas dissimulações, devaneios e loucuras.

Quatro mulheres bem-sucedidas – ou não – comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem e surpreendem o público. São mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo. Amigas, enfim.

Amigas, pero no mucho, faz história no cenário da comédia brasileira por sua capacidade em fazer plateias se divertirem e se reconhecerem numa das quatro personagens:

Elias Andreato é Fram, 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Claudio Fontana é Sara, 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

Raphael Gama é Debora, 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo dona da verdade. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Nilton Bicudo é Olívia, 40 anos – Casada com filhos. Foi rica, não é mais. Tem que dirigir sua VAN que leva crianças para a escola. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: O que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.
Garanta seu ingresso e boa diversão! 

CENTRO CULTURAL OLIDO
Sala Olido (297 lugares)
Avenida São João, 473 – Centro
Informações: (11) 2899.7370 olidocultural@gmail.com

Dias
28, 29, 30 e 31 de março
05, 06 e 07 de abril

Quinta a sábado às 20h | Domingo às 19h

Grátis
**Os ingressos serão distribuídos a partir das 14h nos dias de apresentação**

Duração: 80 minutos
Recomendação: 14 anos

Estreou em fevereiro de 2007

Ficha Técnica:

AUTORA: Célia Forte
DIREÇÃO GERAL e FIGURINOS: José Possi Neto
TRILHA COMPOSTA: Miguel Briamonte

ELENCO:
Elias Andreato
Claudio Fontana
Raphael Gama
Nilton Bicudo

PIANO AO VIVO: Anderson Beltrão
MÚSICA “Amigas pero para siempre” – dueto (versão livre) Elias Andreato
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: Denise Fraga voz em off
CENÁRIO: Jean-Pierre Tortil
SAPATOS: Fernando Pires
ILUMINAÇÃO: Wagner Freire
DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Vivien Buckup
SUPERVISÃO CENOGRÁFICA: Luís Rossi
EXECUÇÃO CENOGRÁFICA: FCR Produções Artísticas
PERUCAS: Adriana Almeida
COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO Beth Gallo
ASSESSORIA DE IMPRENSA Daniela Bustos e Thaís Peres – Morente Forte Comunicações
PROGRAMAÇÃO VISUAL: Vicka Suarez
ADAPTAÇÃO DE ARTE VISUAL Luciano Angelotti
FILMAGENS E EDIÇÕES PARA WEB: Jady Forte
FOTOS: João Caldas Fº
ASSISTENTE DE FOTOGRAFIA Andréia Machado
COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO: Egberto Simões
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Martha Lozano
ASSISTENCIA DE PRODUÇÃO: Bárbara Santos
COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA: Dani Angelotti
ASSISTENCIA ADMINISTRATIVA: Alcení Braz
ADMINISTRAÇÃO: Magali Morente Lopes
PRODUTORA: Selma Morente
REALIZAÇÃO: Morente Forte Produções Teatrais

A correria do dia a dia pode ser mais leve e com qualidade.

A meditação é um aliado importante nessa busca da saúde mental.

Leia também:

Depressão pode ser combatida com alimentação

Bicicleta também é transporte em São Paulo

O Curtyndo + fala de longevidade e de novas experiências. Tive o privilégio de conversar com um dos sócios da empresa MindSelf, Alexandre Ayres sobre essa excepcional ferramenta.

A entrevista, você confere no “De carona com Curty”, na próxima 2ªfeira às 11h no canal do YouTube. Aguardo você.

Entre as coisas que a meditação colabora é o sono. Sim, é possível e necessário ter um sono mais saudável. Tentar dormir oito horas é o melhor dos mundos. Hoje escrevo sobre isso.

Se você tem receio de achar que não nasceu para fazer a meditação, seja porque é agitado ou porque não tem paciência para respirar e inspirar, prepare-se para mudar. Acredite, as meditações desenvolvem condições internas que te ajudam a relaxar as tensões do corpo, tirar os mais variados pensamentos e consequentemente te fazer ter uma bela noite de sono.

É bem verdade que muitas das técnicas que tem como objetivo te acalmar ou focar no comportamento da mente, cria mudanças fisiológicas semelhantes àquelas que acontecem no corpo durante as primeiras fases do sono. Entre eles, o pulso diminui, a pressão arterial cai e os hormônios do estresse se dissolvem.

Vale a pena não desistir de tentar aprender a se acalmar, relaxar e ter a meditação como um aliado ao invés de uma obrigação. Experimente começar com apenas alguns minutos antes de dormir. Aos poucos você chegará sem perceber a 15 ou 20 minutos por dia.

Te apresento dois tipos de meditação para te fazer dormir melhor:

Meditação Mindfulness

A prática da meditação mindfulness (atenção plena) não poderia ser mais simples: Basta estar em um local tranquilo. Daí é focar apenas na sua respiração. É provável que sua mente comece a te fazer lembrar dos problemas e obrigações. Tudo bem, você consegue acredite, retornar para o momento presente. Respire profundamente por 5 minutos e perceberá um estado de total relaxamento.

Vale ressaltar que nesse tipo de meditação, a sua atenção também deve estar voltada a seu corpo, no caso deitado na sua cama, uma vez que o objetivo é te fazer dormir. Valorize um colchão macio, assim como o travesseiro, pois ajudará e muito.

Confira um guia básico da prática de meditação mindfulness:

·         Deite-se confortavelmente em sua cama.

·         Durante um minuto procure relaxar e tentar liberar mentalmente a tensão de seus músculos.

·         Feche os olhos e concentre-se apenas na sua respiração.

·         Mantenha uma mão no abdômen e no peito

·         Respire devagar contando até cinco segundos, depois segure por mais cinco segundos e então solte o ar por mais cinco segundos.

·         Se a mente insistir em te fazer pensar em algo, comece o processo que dura m torno de 5 ou 10 minutos ou até que consiga adormecer.

Meditação de concentração

Nesta meditação a sua atenção deverá ser focada em algo. Por exemplo, dizer “eu agradeço por mais um dia”.

Dicas para a meditação de concentração:

·         Encontre uma posição confortável, relaxe todos os músculos do corpo.

·         Tente respirar um pouco mais profundo do que o normal.

·   Um tipo de concentração pode ser imaginar um círculo branco com um contorno preto.  O importante é você não ficar excitado sim relaxado.

Espero que seu sono melhore a partir dessa experiência.

Até a próxima!!

Histórias em Quadrinhos é cultura

Na atual conjuntura das tecnologias, vale a pena reviver os quadrinhos

Leia também:

Bicicleta é transporte em São Paulo

Regimento da Cavalaria da Polícia Militar de SP

A megaexposição Quadrinhos, que está em cartaz no MIS (Museu da Imagem e do SOM) até o dia 31/03 é espetacular.

Lá os visitantes poderão ver de perto uma ampla retrospectiva da 9ª Arte contada através de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das HQs – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste e muitos outros.

São diversos ambientes temáticos e imersivos que ocupam todas as áreas do Museu, apresentando também a influência das HQs na cultura pop e em outras mídias como cinema e TV.

Você também tem a oportunidade participar de atividades paralelas – curso, oficina, cinema e bate-papo com artistas, voltado para adultos e crianças.

A megaexposição tem a curadoria de Ivan Freitas da Costa (sócio-fundador da CCXP e da Chiaroscuro Studios) e projeto expográfico da Caselúdico, parceira do MIS em outras exposições como O mundo de Tim Burton, Silvio Santos vem aí! e Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição.

A nostalgia será real. São mais de 600 itens reunidos em um período de 18 meses, entre pesquisas em diversos acervos. Além das peças do próprio curador, a exposição possui exemplares dos colecionadores Ricardo Leite, Marcio Escoteiro e Franco de Rosa, o Planeta Gibi, a família de Glauco, Francisco Ucha, Acervo Álvaro de Moya (Centro Universitário Belas Artes de São Paulo), JAL e Gualberto (HQMIX) e diversos artistas como Angeli, Laerte e Ziraldo.

E olha que tem bastante raridade. Por exemplo, a revista com a primeira aparição de Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post em 1935; a edição número 1 de O Pato Donald (1950); uma arte original da personagem de quadrinhos eróticos Valentina desenhada pelo seu criador, o italiano Guido Crepax; exemplar da revista Giant-Size X-Men 1 (1975) e uma ilustração original de The Spirit, que traz o personagem mais conhecido de Will Eisner.

Para os fãs do gato Garfield, tem um desenho feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com as tirinhas fazendo o desenho.

No quesito Brasil, entre os destaques está uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini. Ele também colaborou com As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira e uma das mais antigas do mundo.

A curadoria também teve acesso a desenhos originais de Ziraldo e Glauco. Entre os itens expostos estão um desenho feito a mão feito por Ziraldo com personagens de A Turma do Pererê e um caderno de esboços de Glauco com artes originais para a revista Geraldão, edição número 1.

DICA

MIS + Amazon.com.br: Compre ingressos antecipados no site e no app da Ingresso Rápido e ganhe 10% de desconto na Amazon.com.br.

Classificação indicativa

LIVRE

18 ANOS – SALA QUADRINHOS ERÓTICOS

 

SERVIÇO

HORÁRIO 

Terça a sábado – 10h às 20h.
Domingos e feriados – 09h às 18h.
A permanência no espaço expositivo é de até duas horas após o último horário.

INGRESSOS 

Antecipados: R$30 (inteira) e R$ 15 (meia) no site e no app da Ingresso Rápido.
Na bilheteria (sujeito a disponibilidade): R$14 (inteira) e R$7 (meia); grátis às terças.

Entrada gratuita (saiba mais).

COMPRAR

https://www.ingressorapido.com.br/event/9807/d/43273

Até a próxima!!

TEATRO É CULTURA E DEVE SER VALORIZADO

O fim e semana está aí e com ele algumas dúvidas do que fazer. Entre as atrações tradicionais de ir ao parque, andar de bicicleta, cinema e etc, é impossível deixar o teatro de fora.

Vale muito a pena conferir atrações que a Morente Forte oferece de oportunidades. Sempre com muita qualidade, requinte, preço e atenção ao espectador, as atrações que vão do drama a comédia, conta com um belo casting de atores e atrizes.

Leia Também:

A importância da leitura para a memória

Okavango –  Espaço Holístico e Bem-Estar

Eu já me programei. Irei assistir A Visita da Velha Senhora, com Denise Fraga e Tuca Andrada. Com certeza será demais essa experiência.

A PEÇA

O texto do suiço Friedrich Dürrenmatt apresenta um olhar irônico sobre a fragilidade dos nossos valores morais, da justiça e da esperança.

Vale Depois de uma bem sucedida turnê nacional, o espetáculo volta para São Paulo, no Teatro Sérgio Cardoso, para uma curta temporada

Vale ressaltar, que a turnê nacional foi bem sucedida e São Paulo teve o privilégio de ser novamente a praça para uma curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso

O espetáculo conta ao todo com 13 atores em cena, com uma tônica que nos faz refletir  sobre a fragilidade de nossos valores morais e de nossa noção de justiça quando a palavra é dinheiro. Será que ele é realmente o que mais importa na vida?

Denise Fraga interpreta a milionária Claire Zachanassian que com seu bilhão põe em xeque a arruinada cidade de Güllen. Será que a população se renderá as tentações do é oferecido para salvar o local?

Pois é, esse é o enredo – esses cidadãos esperam ansiosos pela chegada de Claire que prometeu salvá-los da falência.

Daí, em pleno jantar de boas-vindas, vem a condição: A doação de bilhão à cidade se alguém matar Alfred Krank, o homem por quem ela foi apaixonada na juventude e que a abandonou grávida por um casamento de interesse.

Apesar de vivenciarmos esse tipo de situação nas relações, pensar em resolver com a morte é no mínimo absurdo. A cidade fica abismada e sem pensar, rejeita a condição.

A milionária então decide esperar os próximos passos do plano, ficando hospedada com seu séquito no hotel da cidade.

É a partir disso que o público é premiado com uma obra-prima da dramaturgia. Uma bela construção de uma rede de cenas que se misturam com direito a várias cenas de humor e ironia. Nos vemos presentes nos personagens humanos que se mostram frágeis e dependente do chamado dinheiro.

E aí? Quem será que matará Krank?  A cidade tentada e desesperada atenderá o desejo de Claire? Teremos justiça? E o que seria isso nesse caso?  Existe a ética quando o assunto é dinheiro?

Se programe para conferir essa comédia dramática e de humor cáustico que nos faz pensar se nos vendemos para poder comprar? Se os nossos ideais valem menos que o poder do dinheiro.

Isso sem fazer a reflexão do que é de fato justo? Existe justiça nos tempos atuais? Um embate entre o valor moral da justiça e o poder. Qualquer semelhança da peça com a situação do país será mera coincidência.

A direção da peça é do cineasta Luiz Villaça, que depois do sucesso de Sem Pensar, de Anya Reiss, e A Descida do Monte Morgan, de Arthur Miller, retorna mais uma vez ao teatro.

A montagem tem a sofisticação de contar com Cenários e Figurinos de Ronaldo Fraga, a batuta do maestro Dimi Kireeff na Direção Musical, o Desenho de Luz de Nadja Naira da companhia brasileira de teatro, Lucia Gayotto na Preparação Vocal e Keila Bueno nas Coreografias e Preparação Corporal e Simone Batata no Visagismo.

O espetáculo cumpriu temporada de 6 meses no Teatro do SESI, em São Paulo, e em sua turnê nacional foi apresentado no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Belém, Fortaleza, Recife, Maceió, Sete Lagoas, Ipatinga, Petrópolis, Itapetininga, Ribeirão Preto e Campinas, totalizando 160 sessões e um público de mais de 80.000 pessoas.

O espetáculo recebeu o Prêmio Shell de Melhor Figurino para o criador e estilista Ronaldo Fraga  e está nominado ao Prêmio Aplauso Brasil nas categorias Melhor Atriz (Denise Fraga), Melhor Direção (Luiz Villaça), Melhor Arquitetura Cênica (Ronaldo Fraga) e Melhor Espetáculo Independente.

SERVIÇO

R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo
Sextas às 21h, sábados às 17h e 21h e domingos às 18h | Duração: 120 minutos

Ingressos:
Sexta às 21h e sábado às 17h: Plateia Central R$ 60 | Plateia Lateral R$ 50 | Mezanino R$ 40
Sábado às 21h e domingo às 18h: Plateia Central R$ 80 | Plateia Lateral R$ 60 | Mezanino R$ 40

Bora assistir? Divulgue e continue comigo, sem você, o canal não existe!!

 

 

Oitava edição do Rocky Spirit será exibida nos dias 18 e 19 de agosto

Prepare-se para assistir horas e horas de filmes de esportes e aventura no Parque Villa-Lobos, em São Paulo. Trata-se do maior festival de cinema ao ar livre da América Latina.

Leia também:

Regimento da Cavalaria da Polícia Militar de SP

A importância de pedalar em família

Ao todo serão exibidos 25 filmes nacionais e internacionais. É muita diversão, adrenalina e momento para curtir com quem gosta.

A grande missão do Rocky Spirit é o de inspirar, emocionar e estimular a reflexão das pessoas sobre a maneira que cada um enxerga o mundo.

Isso é feito através do festival de filmes ao ar livre que tem o patrocínio da Omint e apoio das marcas Shimano e Specialized e a Colorado como cerveja oficial.

esse é um final de semana para curtir e muito o parque. Atividades físicas, relaxamento, pique-nique e programação intensa durante os dias 18 e 19.

A partir das 19h, começa a sessão. O público poderá assistir os melhores documentários sobre aventura, esporte e vida ao ar livre produzidos recentemente no mundo, vindos diretamente do Telluride Mountainfilm Festival – considerado um dos mais prestigiados festivais de filmes do gênero dos Estados Unidos.

Já imaginou? Serão 27 filmes (sete nacionais e vinte internacionais) sobre diversos esportes, como mountain bike, surf, esqui e montanhismo­­­­, além de meio ambiente, vida ao ar livre e tudo o que faz parte do universo outdoor.

Para completar a experiência, haverá bate-papos com os diretores e protagonistas dos filmes nacionais, possibilitando a interação do público, que poderá fazer perguntas e debater assuntos relacionados ao filme.

Destaques da programação

Entre os destaques deste ano, estão:

  • “Três Mulheres e uma Montanha”, dirigido por Marco Campos, que mostra gerações de mulheres de uma mesma família intrinsecamente ligadas ao Parque Nacional do Itatiaia, no Rio de Janeiro;
  •  “Via Cruxis”, uma animação dirigida pelo espanhol Ignasi López;
  • “A Onda da Pedra D’Água”, sobre a primeira geração de surfistas a desbravar as hoje famosas ondas de Trindade;
  • “The Frenchy”, que apresenta um francês muito figura, de 82 anos, que segue pedalando e esquiando nas montanhas do Colorado; e
  • “Pindorama”, sobre uma família brasileira que se lançou em uma viagem de bike pela costa da Bahia.

Você pode conferir toda a programação no site www.rockyspirit.com.br

Abaixo, sinopse dos filmes confirmados:

A ONDA DA PEDRA D’ÁGUA

Brasil, 2018

Direção: Caio Antunes e Laurent Refalo

O documentário conta a história da descoberta da onda do Cepilho, em Trindade (Paraty, SP), por meio de depoimentos e materiais de acervo da primeira geração de surfistas que exploraram a região, nos anos 1970. “A Onda da Pedra D’Água” explora as características e principais lembranças desse grupo que ajudou a desenvolver o surf no Estado de São Paulo.

BRASIL RAIZ

Brasil, 2018

Direção: Otávio Lino e Marcio Sanchez

A bordo de um carro antigo, Otávio Lino e Marcio Sanchez vão em busca de personagens regionais brasileiros que fizeram do turismo comunitário uma forma de preservar suas raízes, para ouvir o que eles têm a contar sobre suas origens.

Ao longo de oito meses e 24.000 km de viagem, encontram paisagens surpreendentes e muitas aventuras, e trazem um panorama das culturas e paisagens do interior de um país de tamanho continental.

ESCAPAR

Canadá, 2018

Direção: Anjali Nayar

Há algo gloriosamente incongruente – e quase incompreensível – sobre um DJ ruandês, avesso ao risco, não-atlético, que encontra o verdadeiro significado de sua vida pedalando pelo Canadá até a costa congelada do Mar Ártico em uma tentativa de quebrar o recorde da maior viagem de bicicleta de pinhão fixo.

No decorrer dessa improvável aventura, o protagonista, Jean-Aime Bigirimana, também descobre que a verdade sobre escapar não é tão definida como, digamos, sua silhueta de elastano contra a fria paisagem de neve canadense.

GUANACO

Brasil, 2017

Direção: Pedro McCardell

O explorador Pedro McCardell registra sua expedição de São Paulo à Patagônia, em solitário, a bordo de uma motocicleta. Durante a aventura, documenta pequenas histórias de viajantes de todo o mundo – histórias essas que se entrelaçam com o resgate de um animal entre a vida e a morte.

HAYLEY: 90 SEGUNDOS NO MEDO

Suécia, 2017

Direção: Stian Smestad

“Não posso ter medo. O medo é o assassino da mente. Medo é a pequena morte que causa o bloqueio total. Enfrentarei meu medo.” Esse é o mantra de Hayley Ashburn enquanto caminha por uma highline de 70 metros de altura entre paredes rochosas no frio das Dolomitas.

HOME TRILHAS

Inglaterra, 2018

Direção: Stu Thomson

Um escocês e um suíço se encontram em uma trilha… o que parece o começo de uma piada ruim é na verdade o começo de uma aventura épica.

“Home Trails” mostra o que realmente aconteceu quando os pros do mountain bike Danny MacAskill (o escocês) e Claudio Caluori (o suíço) decidiram pedalar juntos no Cantão dos Grisões, na Suíça – região alpine com a maior concentração de trilhas emu ma área tão pequena.

Nenhum cume era muito alto, nenhuma trilha era muito íngreme, nenhuma garganta era muito profunda.

IMAGINAÇÃO: TOM WALLISCH

Canadá, 2017

Direção: Dave Mossop

Do entediante banco de trás do carro dos pais, um jovem esquiador vê os montes de neve e os telhados inclinados que passam pela janela e imagina pistas urbanas de esqui.

Seu devaneio ganha vida quando o esquiador Tom Wallisch voa sobre latas de lixo e desce escadarias e corrimãos em Nelson, na Columbia Britânica, com faíscas voando quando seus esquis encontram asfalto. “Imagination” é uma prova que, com um pouco de neve e criatividade, tudo é possível.

INTERSEÇÃO: MICAYLA GATTO

Canadá, 2017

Direção: Lacy Kemp

A mountain biker profissional e artista plástica Micayla Gatto recria em suas pinturas as vistas arrebatadoras das serras que ela percorre em sua bicicleta. Pedalar pelas trilhas e usar o pincel na tela permitem a Micayla atingir o fluxo mágico de energia, onde ela existe completa e feliz no presente.

Intersection nos leva para dentro do vibrante espaço onde artista e atleta se unem, enquanto Micayla pedala através de sua arte com um toque de cor.

TREINADOR DE VIDA

EUA, 2017

Direção: Renan Ozturk, Taylor Rees

O escalador e cineasta Renan Ozturk faz a peregrinação para a paisagem denteada e agressiva da Geleira Ruth, no Alasca, todos os anos. Desta vez, ele e o colega escalador Alex Honnold estão de olho em uma bela linha no Monte Dickey.

Mas o tempo é horrendo. Então, em vez disso, eles acabam sentados na barraca, falando da vida. O que se desenrola não é o típico filme de escalada, mas sim uma tocante análise de grandes questões da vida.

MULHERES SÃO MONTANHAS

Brasil, 2018

Direção: Renata Calmon

“Mulheres São Montanhas” é uma janela para a vida das escaladoras Mônica Filipini e Danielle Pinto na pacata cidade de São Bento do Sapucaí, no interior de São Paulo, lidando com a maternidade e as atividades domésticas e curtindo a grande paixão pelas montanhas.

Com lirismo, o filme dá visibilidade à escalada tradicional feminina brasileira (um esporte ainda tradicionalmente masculino no país) e investiga as motivações dessas duas mulheres a se arriscarem nas rochas.

CAMPO DE JOGOS NATURAL

França, 2017

Direção: Benjamin Leclair

Benjamin Leclair aproveita ao máximo uma situação ruim, percorrendo as ruas inundadas de Paris num wakeboard. A filmagem aérea deslumbrante dá uma aparência muito melhor do que o provável cheiro.

NEON

EUA, 2018

Direção: Brett Novak

O trabalho do diretor norte-americano Brett Novak já esteve no Rocky Spirit mais de uma vez. Brett volta sempre porque seus filmes conseguem mostrar sua modalidade favorita, o skate, de uma forma única e surpreendente.

Em “Neon”, ele cria uma espécie de Copa do Mundo intergerações do freestyle colocando três dos maiores feras do esporte na atualidade – o canadense Andy Anderson, 22 anos, o japonês Isamu Yamamoto, de 15 anos e o espanhol Kilian Martin, 31 anos – para dançar.

PINDORAMA

Brasil, 2018

Direção: Fernando Biagioni

De volta às origens, Pindorama é uma expedição à terra sem males. Foram os encontros nessas terras que viriam a modelar uma nação. Mais de 500 anos depois, de bicicleta, a expedição de Fernando Biagioni e sua família percorre o trecho do litoral do Brasil hoje conhecido como Costa do Descobrimento.

Se, para muitos, viajar pela Bahia é visitar o imaginário de desbravamento do mundo novo, para eles essa foi uma viagem ao que restou de Pindorama.

ELEMENTOS ROGUE

EUA, 2017

Direção: Todd Jones, Steve Jones

Direito de passagem para qualquer esquiador de Jackson Hole, o Couloir de Corbet é conquistado aqui não em duas tábuas, mas em duas rodas.

RJ RIPPER

Nepal, 2018

Direção: Joey Schusler, Aidan Haley

Rajesh Magar sempre foi obcecado por bikes, desde pequeno, em Kathmandu, Nepal. Sendo filho de pedreiro e empregada doméstica, no entanto, uma bicicleta não era artigo fácil de conseguir. Incansável, ele construiu uma – um Frankenstein desajeitado, mas era uma mountain bike.

Ele começou a competir, e seu foco e talento natural foram notados, e ele acabou trabalhando como guia de mountain bike e trilhando o caminho para provas profissionais.

Hoje, o campeão nepalês é a prova viva de que vale a pena lutar pela sua paixão, não importa o quão impossível pareça.

ONDAS SECRETAS

Inglaterra, 2017

Direção: Tom Cockram

O diretor Tom Cockram viajou à Islândia para um filme sobre o local Ingo Olsen, um surfista apaixonado há mais de 20 anos. Durante uma semana, eles viajaram pela ilha procurando boas ondas ao longo da costa selvagem e compartilhando histórias e a paixão pelo mar.

Graças à posição única da ilha e às 20 horas de luz do sol, os dois descobriram novos picos e surfaram noite adentro. O potencial desta ilha exposta e isolada para o esporte é incrível e ainda inexplorado – mas Ingo guarda seus picos secretos com zelo.

PERPLEXO

EUA, 2017

Direção: Cedar Wright, Taylor Keating

“Não quero ser boa para uma garota, não quero ser boa para alguém que só tem uma das mãos, eu quero ser boa, ponto final.” Esta é Maureen Beck, escaladora. Nascida sem o antebraço esquerdo, Maureen escala boulders negativos, voa em 5.12s e ganha competições.

Mas ela não está aí para ser exemplo, ignorando o clichê de atletas com deficiência. “Não escalamos para sermos especiais, não escalamos para ganhar prêmios bobos. Escalamos porque amamos escalar, como todo mundo.” Alimentada por esse amor, ela tem uma meta ambiciosa.

SURF A LINHA

França, 2017

Direção: Jérémy Frey

Os Franceses Voadores estão de volta, e desta vez surfando uma highline de mais de 600 metros nas Montanhas Vercors, na França – descendo a 80 quilômetros por hora e rindo histericamente durante todo o percurso.

O FRANCÊS

EUA, 2018

Direção: Michelle Smith

Jaques Houot, de 82 anos, pode ter encontrado a fonte da juventude. Francês vivendo em Carbondale, Colorado, atleta de esqui e mountain bike downhill, ciclista de estrada e romântico incorrigível, ele é a personalização da alegria de viver.

Jaques passou perto de morrer umas vinte vezes, incluindo avalanches, câncer, acidentes de carro, ataque cardíaco e até tentativa de homicídio.

Como sobrevivente, explica, ele tenta aproveitar cada dia que tem, rasgando as montanhas com seu bordão “No problem!” “Quando você ri, acrescenta uma hora extra à sua vida. Eu vou morrer muito velho, porque eu amo rir”, diz.

O ESPAÇO DENTRO

EUA, 2017

Direção: Frank Pickell

Passeando pelas piscinas de maré de uma praia tropical deserta, um menininho encontra um misterioso tesouro nas pedras e é rapidamente transportado para um mundo diferente, coberto de neve e lar de esquiadores que cravam linhas na neve profunda.

O PACOTE DO LOBO

EUA, 2018

Direção: Nick Waggoner, Zac Ramras

No alto das montanhas de San Juan, sobre Silverton, Colorado, um grupo de corredores trota pelos campos, caminha sobre picos coloridos, embrenha-se pelas florestas e explora a paisagem acidentada de seu quintal.

É a família Braford-Lefebvre – mãe, pai e três filhos –, que usaram a corrida como mecanismo de cura e uma ferramenta para ajudá-los a viver juntos.

The Wolf Pack retrata a vida de uma família que vive da maneira certa: ao ar livre, pelas montanhas e na natureza.

TRÊS MULHERES E UMA MONTANHA

Brasil, 2018

Direção: Marco Campos

Um relato sobre três vidas – três gerações de mulheres de uma mesma família – intrinsecamente ligadas ao Parque Nacional do Itatiaia, no Rio de Janeiro. Cada uma a sua maneira, elas se conectam às montanhas desse parque para buscar sua essência.

VIA CRUXIS

Espanha, 2018

Direção: Ignasi López

Marcel e Andrezj são uma dupla lendária de escaladores, primeiros a conquistar alguns dos mais altos e difíceis picos. Apesar da diferença de temperamento, são um grande time. Marcel assumiu a liderança e a é o mais popular, enquanto Andrezj sempre ficou em Segundo plano.

Agora os dois enfrentam seu maior desafio: alcançar o cume virgem da montanha mais alta. Para realizar isso, eles terão que superar obstáculos terríveis, juntos.

POR QUE NÃO AGORA: VIVIAN STANCIL

EUA, 2017

Direção: Riley Hooper

Cega e com medo da água, Vivian Stancil aprendeu a nadar aos 48 anos. “Ouvi dizer que cegos não podem nadar”, diz Vivian, e continua: “Ah, podem sim!” Duzentas e vinte e uma medalhas depois, com metade do seu peso inicial, Vivian continua nadando.

Serviço – ROCKY SPIRIT
Data: 18 e 19 de agosto

Endereço: Parque Villa-Lobos – Ilha Musical

Telefone: 3039-8200 (Rocky Mountain) / 2683-6302 (Parque)

Horário de Funcionamento: 10h às 22h

Capacidade: 5.000 pessoas por dia

Estacionamento: R$ 20,00
Facebook: /rockyspiritfest

Instagram: @rockyspiritfest
Acessibilidade / Pet Friendly

Boa diversão e até a próxima!