Tag

morente forte

Browsing

Você pode perder essa comédia de sucesso, afinal está de graça!!

Leia também:

Bicicleta também é transporte em São Paulo

Exposição de quadrinhos no MIS vai até dia 31 de março

Sucesso de público por onde passou e passa, já são quase 12 anos em cartaz, essa comédia irreverente faz sete sessões gratuitas no Centro Cultural Olido

Tudo começou em fevereiro de 2007. “Amigas, pero no mucho”, uma comédia de Célia Forte estreava no Teatro Renaissance inaugurando o horário da meia noite.

O sucesso foi tanto com elenco de atores interpretando as quatro amigas, que por cinco anos percorreu vários teatros de São Paulo, com temporada também no Rio de Janeiro.

Ganhou montagem baiana, com apresentações em várias capitais do nordeste e Angola. Tem seu texto traduzido para o espanhol, alemão e inglês.

Agora, as amigas fazem 7 sessões gratuitas no Centro Cultural Olido, até o dia 07 de abril.

Para se ter uma ideia dessa comédia, foram mais de 170 mil pessoas se divertindo com as incríveis situações criadas pela jornalista Célia Regina Forte sobre quatro mulheres da nossa época que tentam dar conta de tudo: do cotidiano, do corpo, da mente, do trabalho, da família e da amizade, causando inusitadas situações típicas do universo feminino.

A direção é de José Possi Neto e a composição musical de Miguel Briamonte. A epopeia se dá através do encontro de quatro amigas em uma tarde de sábado, onde todas – ou quase todas – as roupas sujas são lavadas por elas. Com humor cáustico, ironia e irreverência, elas falam sobre suas dissimulações, devaneios e loucuras.

Quatro mulheres bem-sucedidas – ou não – comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem e surpreendem o público. São mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo. Amigas, enfim.

Amigas, pero no mucho, faz história no cenário da comédia brasileira por sua capacidade em fazer plateias se divertirem e se reconhecerem numa das quatro personagens:

Elias Andreato é Fram, 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Claudio Fontana é Sara, 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

Raphael Gama é Debora, 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo dona da verdade. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Nilton Bicudo é Olívia, 40 anos – Casada com filhos. Foi rica, não é mais. Tem que dirigir sua VAN que leva crianças para a escola. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: O que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.
Garanta seu ingresso e boa diversão! 

CENTRO CULTURAL OLIDO
Sala Olido (297 lugares)
Avenida São João, 473 – Centro
Informações: (11) 2899.7370 olidocultural@gmail.com

Dias
28, 29, 30 e 31 de março
05, 06 e 07 de abril

Quinta a sábado às 20h | Domingo às 19h

Grátis
**Os ingressos serão distribuídos a partir das 14h nos dias de apresentação**

Duração: 80 minutos
Recomendação: 14 anos

Estreou em fevereiro de 2007

Ficha Técnica:

AUTORA: Célia Forte
DIREÇÃO GERAL e FIGURINOS: José Possi Neto
TRILHA COMPOSTA: Miguel Briamonte

ELENCO:
Elias Andreato
Claudio Fontana
Raphael Gama
Nilton Bicudo

PIANO AO VIVO: Anderson Beltrão
MÚSICA “Amigas pero para siempre” – dueto (versão livre) Elias Andreato
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: Denise Fraga voz em off
CENÁRIO: Jean-Pierre Tortil
SAPATOS: Fernando Pires
ILUMINAÇÃO: Wagner Freire
DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Vivien Buckup
SUPERVISÃO CENOGRÁFICA: Luís Rossi
EXECUÇÃO CENOGRÁFICA: FCR Produções Artísticas
PERUCAS: Adriana Almeida
COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO Beth Gallo
ASSESSORIA DE IMPRENSA Daniela Bustos e Thaís Peres – Morente Forte Comunicações
PROGRAMAÇÃO VISUAL: Vicka Suarez
ADAPTAÇÃO DE ARTE VISUAL Luciano Angelotti
FILMAGENS E EDIÇÕES PARA WEB: Jady Forte
FOTOS: João Caldas Fº
ASSISTENTE DE FOTOGRAFIA Andréia Machado
COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO: Egberto Simões
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Martha Lozano
ASSISTENCIA DE PRODUÇÃO: Bárbara Santos
COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA: Dani Angelotti
ASSISTENCIA ADMINISTRATIVA: Alcení Braz
ADMINISTRAÇÃO: Magali Morente Lopes
PRODUTORA: Selma Morente
REALIZAÇÃO: Morente Forte Produções Teatrais

Teatro é cultura e faz bem para a alma

Leia também:

Férias em São Paulo vale a pena

Conheça a história do plantador de árvores

A Morente Forte, parceira de longa data do Curtyndo+, oferece entre suas atrações, essas duas ótimas peças a partir do dia 18 de janeiro. Vale a pena se programar e viver a experiência da arte, cultura e diversão.

http://www.morenteforte.com/

Reynaldo Gianecchini e Ricardo Tozzi estão fantásticos na emocionante peça “OS GUARDAS DO TAJ”

SINOPSE

À primeira luz da manhã, um novo edifício representando o poder crescente do império será revelado: o glorioso Taj Mahal. Mas para estes dois guardas, amigos de longa data e designados a proteger o palácio, a manhã vem trazer uma crise existencial que abalará sua fé no Império e nos outros humanos.

Os Guardas do Taj retrata dois homens comuns que se deparam com a beleza imensurável do Taj e ao mesmo tempo são varridos pela carnificina e pela injustiça que cerca uma das maravilhas mais famosas do mundo. O ano é de 1648 e os dois guardas imperiais estão em pé e de costas para o ainda não revelado Taj Mahal. Um deles, Babur (Ricardo Tozzi) está cheio de curiosidade inextinguível; o outro, Humayun (Reynaldo Gianecchini) é pura ortodoxia obediente. Amigos desde a infância acabam se confrontando diante das regras estabelecidas e da maneira que cada um deles vê a sociedade e suas vidas.

Além de estarem proibidos de olhar para o edifício, os dois amigos também acabam sendo escalados para participarem da famosa história arbitrária que o imperador ordenou que executassem. O texto do americano Rajiv Joseph levanta questões potentes sobre o humano, o preço pago ao longo da história para realizar os caprichos dos poderosos, mesmo quando resultam em maravilhas arquitetônicas que, em última análise, serviriam para dar prazer às massas. Esta é uma das muitas lendas que cercam o Taj, mas que o autor usa de maneira brilhante para explorar, de forma inteligente e sem ser esmagadoramente dramática, uma série de ideias filosóficas. Uma delas é se há limites à busca humana pelo conhecimento, o que rege as relações de amizade e as proibições absurdas que muitas vezes nos são impostas.

Com direção de Rafael Primot e João Fonseca, os temas centrais do espetáculo sobre dois guardas imperiais proibidos de olhar para o esplendor do Taj Mahal em sua inauguração, são a curiosidade humana, o capricho dos poderosos e a amizade entre dois homens. Além disso, quando os guardas são ordenados a realizar uma tarefa impensável, as consequências os obrigam a questionar os conceitos como amizade, beleza e dever, e os muda para sempre de maneira única e poética.

Amizade, lealdade, subserviência, poder. Qual o real sentido da vida e das relações? Quando a luz se apaga, qual a única beleza que nos resta? A jornada desses dois amigos nos questiona se vale a pena pagar um preço tão alto para manter a ordem estabelecida.

Com produção de Selma Morente e Célia Forte, através da Morente Forte Produções Teatrais, Os Guardas do Taj é um espetáculo sobre a amizade, os valores e as escolhas que fazemos. Vale a pena simplesmente fazer as coisas sem questionar? Obedecer à ordem estabelecida sem pensar? Será que há um caminho melhor para seguirmos? Esses dois amigos, tão diferentes entre si, acabam descobrindo o que realmente importa na vida e vivem as consequências de suas escolhas.

LOCAL

Teatro Sergio Cardoso

Rua Rui Barbosa, 153. Bela Vista

Bilheteria: 3288.0136

 De terça a domingo, a partir das 14h. Aceita dinheiro e todos os cartões de crédito, débito e vale-cultura (Alelo e Ticket). Acesso para cadeirantes. Ar-condicionado.
Vendas:  www.ingressorapido.com.br e 4003.1212

Sexta e Sábado às 20h

 Domingo 18h

 Ingressos:

 Sexta: R$ 60 (plateia A) R$ 50 (plateia B) R$ 30 (balcão)

Sábado e domingo: R$ 70 (plateia A) R$ 60 (plateia B) R$ 40 (balcão)

  *Todas as apresentações terão descritivo em braille e intérprete de libras*

Duração: 75 minutos

Recomendação: 12 anos

Gênero: drama

Temporada 2019: de 18 de janeiro até 17 de fevereiro

AMOR PROFANO

A peça fala sobre UM EMBATE ENTRE A dúvida e A fé, sobre agnosticismo e heresia, mas, acima de tudo, fala sobre o amor.

 

Vivianne Pasmanter e Marcello Airoldi interpretam um casal que vive uma instigante história de amor. Um triângulo amoroso no qual Deus surge como o terceiro protagonista.

Hannah e Zvi se reencontram pela primeira vez após 20 anos do seu traumático divórcio. Ambos foram criados numa comunidade ultra-ortodoxa judaica em Jerusalém. O casamento acabou quando Zvi, em uma crise de fé, resolveu abandonar as leis religiosas e seguir uma vida secular em Tel Aviv.

Nesse reencontro, os dois terão que finalmente confrontar o amor, a fé, suas escolhas e seus temores mais profundos. O despertar da paixão e o desejo entre os dois é inevitável, mas poderá o amor verdadeiro superar a fé e as diferenças religiosas?

Amor Profano, com direção de Einat Falbel, trilha composta pela cantora e compositora Fortuna, cenários e figurinos de Zé Henrique de Paula e iluminação de Yuri Cumer, surpreende a plateia provocando uma profunda reflexão sobre a complexidade humana.

A partir do conflito intrigante desse casal a peça causa identificação sobre o problema da incomunicabilidade nas relações humanas, dimensionando questões universais que afetam o mundo contemporâneo.

Todas as apresentações terão livreto com texto descritivo em Braille (também disponível em versão digital por um aplicativo para dispositivos móveis), além da presença de um intérprete de libras nas sessões às sextas.

LOCAL

Teatro Raul Cortez – Fecomércio (512 lugares)

Rua Dr. Plínio Barreto 285 – Bela Vista

Informações: 3254.1631

Bilheteria: terça a quinta das 15h às 20h; sexta a domingo a partir das 15h. Aceita todos os cartões de débito e crédito. Não aceita cheque. Ar condicionado e acesso para cadeirantes. Estacionamento do teatro: R$ 23

Vendas: www.ingressorapido.com.br

Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 19h

Ingressos:

Sexta R$ 60 e R$ 40 | Sábado e Domingo R$ 70 e R$ 50

* Todas as apresentações terão descritivo em braile*

*Todas as sextas as apresentações terão intérprete de libras*

Duração: 80 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Gênero: Drama

Temporada 2019: de 19 de Janeiro até 24 de fevereiro

Boa curtição e até a próxima!!

Kaspersky Password Manager

 

Crie uma senha forte para sua conta

Kaspersky Password Manager

Crie uma senha forte para sua conta

TEATRO É CULTURA E DEVE SER VALORIZADO

O fim e semana está aí e com ele algumas dúvidas do que fazer. Entre as atrações tradicionais de ir ao parque, andar de bicicleta, cinema e etc, é impossível deixar o teatro de fora.

Vale muito a pena conferir atrações que a Morente Forte oferece de oportunidades. Sempre com muita qualidade, requinte, preço e atenção ao espectador, as atrações que vão do drama a comédia, conta com um belo casting de atores e atrizes.

Leia Também:

A importância da leitura para a memória

Okavango –  Espaço Holístico e Bem-Estar

Eu já me programei. Irei assistir A Visita da Velha Senhora, com Denise Fraga e Tuca Andrada. Com certeza será demais essa experiência.

A PEÇA

O texto do suiço Friedrich Dürrenmatt apresenta um olhar irônico sobre a fragilidade dos nossos valores morais, da justiça e da esperança.

Vale Depois de uma bem sucedida turnê nacional, o espetáculo volta para São Paulo, no Teatro Sérgio Cardoso, para uma curta temporada

Vale ressaltar, que a turnê nacional foi bem sucedida e São Paulo teve o privilégio de ser novamente a praça para uma curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso

O espetáculo conta ao todo com 13 atores em cena, com uma tônica que nos faz refletir  sobre a fragilidade de nossos valores morais e de nossa noção de justiça quando a palavra é dinheiro. Será que ele é realmente o que mais importa na vida?

Denise Fraga interpreta a milionária Claire Zachanassian que com seu bilhão põe em xeque a arruinada cidade de Güllen. Será que a população se renderá as tentações do é oferecido para salvar o local?

Pois é, esse é o enredo – esses cidadãos esperam ansiosos pela chegada de Claire que prometeu salvá-los da falência.

Daí, em pleno jantar de boas-vindas, vem a condição: A doação de bilhão à cidade se alguém matar Alfred Krank, o homem por quem ela foi apaixonada na juventude e que a abandonou grávida por um casamento de interesse.

Apesar de vivenciarmos esse tipo de situação nas relações, pensar em resolver com a morte é no mínimo absurdo. A cidade fica abismada e sem pensar, rejeita a condição.

A milionária então decide esperar os próximos passos do plano, ficando hospedada com seu séquito no hotel da cidade.

É a partir disso que o público é premiado com uma obra-prima da dramaturgia. Uma bela construção de uma rede de cenas que se misturam com direito a várias cenas de humor e ironia. Nos vemos presentes nos personagens humanos que se mostram frágeis e dependente do chamado dinheiro.

E aí? Quem será que matará Krank?  A cidade tentada e desesperada atenderá o desejo de Claire? Teremos justiça? E o que seria isso nesse caso?  Existe a ética quando o assunto é dinheiro?

Se programe para conferir essa comédia dramática e de humor cáustico que nos faz pensar se nos vendemos para poder comprar? Se os nossos ideais valem menos que o poder do dinheiro.

Isso sem fazer a reflexão do que é de fato justo? Existe justiça nos tempos atuais? Um embate entre o valor moral da justiça e o poder. Qualquer semelhança da peça com a situação do país será mera coincidência.

A direção da peça é do cineasta Luiz Villaça, que depois do sucesso de Sem Pensar, de Anya Reiss, e A Descida do Monte Morgan, de Arthur Miller, retorna mais uma vez ao teatro.

A montagem tem a sofisticação de contar com Cenários e Figurinos de Ronaldo Fraga, a batuta do maestro Dimi Kireeff na Direção Musical, o Desenho de Luz de Nadja Naira da companhia brasileira de teatro, Lucia Gayotto na Preparação Vocal e Keila Bueno nas Coreografias e Preparação Corporal e Simone Batata no Visagismo.

O espetáculo cumpriu temporada de 6 meses no Teatro do SESI, em São Paulo, e em sua turnê nacional foi apresentado no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Belém, Fortaleza, Recife, Maceió, Sete Lagoas, Ipatinga, Petrópolis, Itapetininga, Ribeirão Preto e Campinas, totalizando 160 sessões e um público de mais de 80.000 pessoas.

O espetáculo recebeu o Prêmio Shell de Melhor Figurino para o criador e estilista Ronaldo Fraga  e está nominado ao Prêmio Aplauso Brasil nas categorias Melhor Atriz (Denise Fraga), Melhor Direção (Luiz Villaça), Melhor Arquitetura Cênica (Ronaldo Fraga) e Melhor Espetáculo Independente.

SERVIÇO

R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo
Sextas às 21h, sábados às 17h e 21h e domingos às 18h | Duração: 120 minutos

Ingressos:
Sexta às 21h e sábado às 17h: Plateia Central R$ 60 | Plateia Lateral R$ 50 | Mezanino R$ 40
Sábado às 21h e domingo às 18h: Plateia Central R$ 80 | Plateia Lateral R$ 60 | Mezanino R$ 40

Bora assistir? Divulgue e continue comigo, sem você, o canal não existe!!