Tag

economia

Browsing

Declaração do Imposto de Renda deve ser feita até 30 de abril

A declaração do Imposto de Renda 2019, referente ao ano-base 2018 para os contribuintes obrigados a entregar, se inicia na data de hoje e segue até o dia 30 de abril.

Leia Também:

O valor da verdade em sua vida

Conheça algumas dicas para guardar o seu dinheiro

O QUE SABER DO IR 2019

A antecipação pode ser interessante aos contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências. O motivo é simples, esses receberão as restituições do Imposto de Renda de maneira mais rápida.

Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade nesse recebimento.

A expectativa da Receita Federal é de receber 30,5 milhões de declarações no período vigente.

Vale ressaltar que a multa para o contribuinte que não fizer a declaração dentro do prazo será de no mínimo R$ 165,74. O valor máximo corresponde a 20% do imposto devido.

As primeiras restituições começarão a ser pagas no mês de junho e seguem até dezembro para os contribuintes cujas declarações não caíram na malha fina.

QUEM É OBRIGADO A DECLARAR

  • Aqueles que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.
  • Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2018, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Quem teve, em 2018, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2018, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2018;
  • Quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda;
  • Quem optar pelo declaração simplificada abre mão de todas as deduções admitidas na legislação tributária, como aquelas por gastos com educação e saúde, mas tem direito a uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitada a R$ 16.754,34, mesmo valor do ano passado.

 BAIXAR O PROGRAMA

A Secretaria da Receita Federal liberou no dia 25 de fevereiro o download do programa gerador do Imposto de Renda 2019.

Do computador, o contribuinte pode baixar os programas do Windows, Multiplataforma (zip) e Outros (Mac, Linux, Solaris). Para os celulares, os programas estrão disponíveis para Android e IOS.

Você pode fazer o download, clicando nesse link: http://receita.economia.gov.br/interface/cidadao/irpf/2019/download

O programa para preenchimento da declaração é o mesmo para as duas formas de tributação (utilizando as deduções legais ou o desconto simplificado).

O preenchimento é bem didático, basta seguir as orientações sobre as formas de tributação. Antes de enviar a declaração, o programa apresentará quadro comparativo para que o contribuinte possa escolher a opção mais favorável.

O contribuinte pode fazer a importação de dados de 2018 para facilitar o preenchimento neste ano. A importação de dados substitui eventuais dados já digitados na declaração de 2019. Para evitar isso, a Receita recomenda fazer a importação antes de iniciar o preenchimento. Em caso de a última declaração ter sido retificada, é preciso substituir pelo número do recibo da última retificadora online.

HORÁRIO DE ENVIO

O Receitanet (programa para o envio da declaração) foi incorporado ao programa do IR 2019, não sendo necessária sua instalação em separado. A Receita informa, porém, que o serviço de recepção de declarações não funciona no período entre 1h e 5h da manhã (horário de Brasília).

QUAIS AS DIVERGÊNCIAS

Neste ano, a novidade é que os contribuintes poderão verificar no dia seguinte ao envio da declaração do IR 2019 se estão com alguma divergência.

É importante o contribuinte analisar o extrato da declaração no dia seguinte ao envio para o Fisco, uma vez que evitará ficar com uma pendência na malha fina.

Caso seja identificada alguma pendência, contribuinte poderá enviar imediatamente uma correção retificadora da declaração.

Para evitar cair na malha fina é recomendado que as informações de rendimentos e deduções sejam iguais, quando confrontadas no cruzamento de fontes pagadoras ou de fontes recebedoras.

Boa sorte e até a próxima!!

Dinheiro: Saiba como pequenas atitudes podem fazer a diferença na sua vida financeira

A crise está aí e com ela as compulsões, as oportunidades de comprar isso ou aquilo.

Leia também:

Viajar é o melhor investimento

Previdência pode aumentar a sua renda na aposentadoria

Desta maneira, o dinheiro, que deveria virar um aliado, acaba virando vilão, quando se deve mais do que têm em conta.

Assim, preste atenção nessas dicas para conseguir ter sempre um dinheiro guardado e protegido para um situação inesperada.

As metas de quanto se deseja ter um dia é possível. Acredite, guardar moedas, notas de baixo valor e por aí vai, pode ser interessante e um belo hobby.

Confira essas dicas:
1 – Organize uma meta e uma disciplina dia a dia.

Deposite um valor específico de moeda ou nota e dobre esse valor de um dia para outro. Por exemplo: Comece com uma nota de R$2,00, no segundo dia, coloque duas notas (R$ 4,00– que juntando com o primeiro dia dá R$ 6,00), e assim por diante.

Já imaginou quanto você não terá no final de uma meta definida? Comece com 30 dias e vá aumentando se ver que realmente valeu a pena.

2- Experimente guardar dinheiro em um dia específico

Suponhamos que comece numa 6ªfeira. Comece com R$ 1 ; na 6ªf seguinte você coloca R$ 2; assim até a semana de número 52, resultando em R$52,00. Sabe quanto isso renderá? R$ 1.378,00.

3 – Mude seus hábitos

Experimente fazer uma lista de compras de coisas que realmente precisa e não caia na tentação de levar algo a mais, que estava fora da necessidade.

Daí a brincadeira: Veja quanto você gastaria se comprasse o produto e guarde esse valor no seu “cofrinho”. A economia provavelmente será bem alta.

Outra mudança a pensar é fazer encontros em sua casa ou na casa de amigos. Rachando tudo, sem dúvida, o gasto será bem menor, se tivesse ido a um restaurante ou bar.

Claro, não é para deixar de sair uma vez ou outra, apenas saber dosar. Vale, de repente, colocar uma ideia de custo médio quando você sai e guardar esse dinheiro.

4 – Já conhece os cupons de desconto

Está mais do que na moda buscar alternativas para compras pela Internet e até em lojas físicas.
As ofertas são muitas – restaurante, lazer, cinema, lanchonete, viagens, etc. O segredo aqui é ver qual foi o desconto e usar essa diferença e guardar no “cofrinho”.

5 – Objetivos

Crie uma meta no que deseja gastar. Uma viagem? Um novo carro? Então, calcule e crie uma meta para alcançar o sonho. Acredite, quando se tem uma meta, as coisas se tornam menos desafiadoras.

Espero que você tenha bons lucros com essas dicas. No fim, se avaliar, verá que gastamos muito com coisas supérfluas e sem necessidade. Ansiedade é um inimigo aqui. Avalie com calma o que daria para ser cortado e comece a guardar mais.

Até a próxima!

A importância de saber economizar em diversos setores

Leia também:

Longevidade ao alcance de todos – Parte 3

E na atual conjuntura do país, a tendência é que cada vez mais nos falte uma renda segura para seguir em frente sem crises e dívidas.

Só que como para tudo, a parte financeira também tem solução. Abaixo, listo algumas dicas para você economizar e ficar com o bolso mais equilibrado e preparado para imprevistos.

– Planejamento financeiro –  É muito importante se organizar e saber o que se gasta no mês – Entender quanto você ganha e quanto disso sai, é fundamental para não passar aperto

– Se possível, invista por mês, pelo menos 30% dos seus ganhos em uma poupança ou aplicação que combina com você

– Evite se descontrolar com o uso de cartões de crédito. De pouco em pouco a sua despesa pode te surpreender na próxima fatura. Prefira andar com dinheiro

– Não parcele suas compras. Prefira o pagamento à vista e aproveite inclusive as suas vantagens, na escolha dessa modalidade

– Economize energia – Procure utilizar lâmpadas que consomem menos. Seja breve no banho, aproveite a luz do dia e não deixe seus equipamentos ligados, pois mesmo em standy by há consumo de energia elétrica.

– Não utilize diariamente a máquina de lavar e nem o ferro de passar. Espere um acúmulo de roupas para uma única utilização, uma vez que ambos consomem muita energia.

– Quando for às compras, leve uma lista e não caia em tentações de comprar produtos que estão com desconto. Muitas vezes, você nem lembra que comprou. Então compre somente o necessário de alimentos, higiene, etc.

– Se possível, evite comer fora de casa. Por mais que sua escolha seja em restaurantes de quilo, por exemplo, o gasto poderá ser bem maior que se for feito em casa.

– Viajar, ir ao cinema ou qualquer outra diversão é fundamental. Só que vale a pena pesquisar em sites os cupons de descontos e promoções para sair ganhando.

–  Se atente para eventos gratuitos na sua cidade. Sempre há um dia da semana para aproveitar museus e teatros.

–  Descontos e vantagens – Se tiver cartão de crédito, verifique as condições especiais para idas ao cinema, teatro, restaurantes. Você pode se surpreender com o desconto.

–  Avalie seu plano de TV, Internet e também do celular. Avalie se dá para diminuir o plano e tente negociar um desconto para se manter cliente.

– Se você for assinante de alguma revista, jornal, sócio-torcedor, enfim, vale analisar se está valendo a pena continuar fiel ou cancelar.

Acredito que com essas dicas, aos poucos você terá uma renda maior e mais tranquilidade financeira. Espero que tenha gostado.

Até a próxima!!

Você já ouviu falar da PROTESTE? Pois é,  a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor é uma entidade civil sem fins lucrativos, apartidária, independente de governos e empresas.

Nos dias atuais com tantas dúvidas sobre aonde e quanto investir para obter mais lucros e seguranças financeiras, vale a pena buscar estudos, pesquisas e orientações de especialistas.

Para muitos, a melhor saída, seja por segurança ou simplesmente pela falta de conhecimento técnico é a boa e velha Poupança. Ora, acredito que se você pesquisar com calma, irá perceber que esse pode não ser o melhor negócio, mesmo que aproximadamente 60 milhões de brasileiros prefiram contra cerca de 10 milhões que aplicam nos fundos de investimentos e títulos.

Será que realmente você faz um bom negócio com seu dinheiro aplicado? E para aqueles que ainda não sabem aonde investir? Converse com o gerente de seu banco ou com corretoras confiáveis. Para se ter uma ideia, a Proteste fez uma comparação de algumas opções de investimentos conservadores, como títulos (CDBs, LCIs e LCAs) e também de fundos de renda fixa, voltado para o consumidor que não deseja correr riscos –  ficou constatado que os bancos oferecem um número maior de fundos conservadores e as corretoras números mais rentáveis. Das 193 opções analisadas, as 116 primeiras são corretoras.

Antes de qualquer decisão, é importante avaliar todos os riscos, como vale fazer os investimentos – de forma rápida ou controlada. Se a corretora é estável ou tem risco de falência. O que ganho e posso perder ao deixar o dinheiro na conta, enfim.

Aqui vão algumas dicas da Proteste para que você avalie se vale ou não investir em um fundo:

1. Confira quantos cotistas estão presentes no fundo.  Evite entrar, caso haja um número pequeno, pois a saída de um deles, afetará o rendimento dos que permanecerem;
2. Prefira os títulos cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);
3. Avalie a captação líquida do fundo –  Prefira aqueles que recebem por meses seguidos ao invés dos que capitalizam um valor menor;
4. Confira a classificação de risco daquele fundo em agências como  Moody’s, Standard&Poor’s e Fitch.

A Proteste recomenda ainda que se invista em aplicações com notas superiores a investimento não especulativo.

Boa sorte nas suas aplicações e até a próxima!