Tag

comportamento

Browsing

Uma doença que acomete aproximadamente 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros

Você já ouviu falar da síndrome de burnout?

Leia também

A pílula da felicidade é real

Depressão pode ser combatida com alimentação

Bem, se você trabalha em excesso, valoriza mais o seu tempo para as tarefas, atenção – essa síndrome é um distúrbio psíquico caracterizado pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes.

A doença foi descrita no ano de 1974 por Freudenberger, um médico americano. Esse distúrbio psíquico acontece pelo desgaste profissional e está registrado no Grupo V da CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde).

A principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. As pessoas mais atingidas são as que são exigidas em envolvimento interpessoal direto e intenso.

De acordo com os estudos, os profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, bombeiros, policiais, recursos humanos, agentes penitenciários e mulheres que enfrentam dupla jornada correm risco maior de desenvolver o transtorno.

SINTOMAS

O sintoma típico da síndrome de burnout é a sensação de esgotamento físico e emocional, o que resulta na falta ao trabalho, atitudes negativas, mudanças radicais no humor, isolamento, agressividade, dificuldade para se concentrar, irritabilidade, depressão, ansiedade, lapsos de memória e baixa autoestima.

Além disso, pode estar associada à síndrome, dor de cabeça, sudorese, palpitação, pressão alta, enxaqueca, cansaço, dores musculares, distúrbios gastrintestinais, insônia e crises de asma

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico leva em conta o levantamento da história do paciente e seu envolvimento e realização pessoal no trabalho.

Respostas psicométricas a questionário baseado na Escala Likert também ajudam a estabelecer o diagnóstico.

TRATAMENTO

O tratamento da síndrome de burnout inclui o uso de antidepressivos e psicoterapia. Atividade física regular e exercícios de relaxamento também ajudam a controlar os sintomas.

RECOMENDAÇÕES

·         Avalie quanto as condições de trabalho estão interferindo em sua qualidade de vida e prejudicando sua saúde física e mental. Permita-se mudar a sua rotina para realizar melhor as atividades diárias e objetivos profissionais.

·         Pratique exercícios físicos na melhor hora do dia para você. Não dê desculpas pela falta de tempo. Viva a sua vida pessoal com intensidade. Lazer é fundamental. Acredite, mudar seu estilo de vida colabora para o tratamento da síndrome de burnout;

·         Consumir álcool em excesso é prejudicial. Isso sem falar de outras drogas para afastar as crises de ansiedade e depressão. Evite então os remédios.

·         Consulte um médico para o melhor tratamento

Até a próxima

A correria do dia a dia pode ser mais leve e com qualidade.

A meditação é um aliado importante nessa busca da saúde mental.

Leia também:

Depressão pode ser combatida com alimentação

Bicicleta também é transporte em São Paulo

O Curtyndo + fala de longevidade e de novas experiências. Tive o privilégio de conversar com um dos sócios da empresa MindSelf, Alexandre Ayres sobre essa excepcional ferramenta.

A entrevista, você confere no “De carona com Curty”, na próxima 2ªfeira às 11h no canal do YouTube. Aguardo você.

Entre as coisas que a meditação colabora é o sono. Sim, é possível e necessário ter um sono mais saudável. Tentar dormir oito horas é o melhor dos mundos. Hoje escrevo sobre isso.

Se você tem receio de achar que não nasceu para fazer a meditação, seja porque é agitado ou porque não tem paciência para respirar e inspirar, prepare-se para mudar. Acredite, as meditações desenvolvem condições internas que te ajudam a relaxar as tensões do corpo, tirar os mais variados pensamentos e consequentemente te fazer ter uma bela noite de sono.

É bem verdade que muitas das técnicas que tem como objetivo te acalmar ou focar no comportamento da mente, cria mudanças fisiológicas semelhantes àquelas que acontecem no corpo durante as primeiras fases do sono. Entre eles, o pulso diminui, a pressão arterial cai e os hormônios do estresse se dissolvem.

Vale a pena não desistir de tentar aprender a se acalmar, relaxar e ter a meditação como um aliado ao invés de uma obrigação. Experimente começar com apenas alguns minutos antes de dormir. Aos poucos você chegará sem perceber a 15 ou 20 minutos por dia.

Te apresento dois tipos de meditação para te fazer dormir melhor:

Meditação Mindfulness

A prática da meditação mindfulness (atenção plena) não poderia ser mais simples: Basta estar em um local tranquilo. Daí é focar apenas na sua respiração. É provável que sua mente comece a te fazer lembrar dos problemas e obrigações. Tudo bem, você consegue acredite, retornar para o momento presente. Respire profundamente por 5 minutos e perceberá um estado de total relaxamento.

Vale ressaltar que nesse tipo de meditação, a sua atenção também deve estar voltada a seu corpo, no caso deitado na sua cama, uma vez que o objetivo é te fazer dormir. Valorize um colchão macio, assim como o travesseiro, pois ajudará e muito.

Confira um guia básico da prática de meditação mindfulness:

·         Deite-se confortavelmente em sua cama.

·         Durante um minuto procure relaxar e tentar liberar mentalmente a tensão de seus músculos.

·         Feche os olhos e concentre-se apenas na sua respiração.

·         Mantenha uma mão no abdômen e no peito

·         Respire devagar contando até cinco segundos, depois segure por mais cinco segundos e então solte o ar por mais cinco segundos.

·         Se a mente insistir em te fazer pensar em algo, comece o processo que dura m torno de 5 ou 10 minutos ou até que consiga adormecer.

Meditação de concentração

Nesta meditação a sua atenção deverá ser focada em algo. Por exemplo, dizer “eu agradeço por mais um dia”.

Dicas para a meditação de concentração:

·         Encontre uma posição confortável, relaxe todos os músculos do corpo.

·         Tente respirar um pouco mais profundo do que o normal.

·   Um tipo de concentração pode ser imaginar um círculo branco com um contorno preto.  O importante é você não ficar excitado sim relaxado.

Espero que seu sono melhore a partir dessa experiência.

Até a próxima!!

A IMPORTÂNCIA DE REFLETIR SOBRE NOSSAS ATITUDES E DOS OUTROS

Hoje o Curtyndo+ apresenta um novo quadro em sua plataforma. Trata-se do Chá de Reflexão.

Leia Também:

Longevidade: A importância de manter as amizades

A depressão está cada vez mais presente na sociedade

O quadro que será semanal tem como grande objetivo, dividir com você, histórias reais que eu vivi, metáforas, frases, pensamentos e aprendizados, de forma que se possa refletir a respeito.

Sim, afinal de contas, refletir nada mais é do que pensar nas coisas reais ou imaginárias que nos rodeiam diariamente. Atitudes, comportamentos, temas polêmicos que geram julgamentos ao próximo e para nós mesmos, de situações que precisam ser solucionadas dia após dia.

Se você pensar, verá que diariamente é provocado a “refletir”. Seja uma frase que recebe, uma atitude que tomou, uma situação que esteve presente e por aí vai.

Como seria bom, se todos pudessem refletir algo antes de agir ao invés de utilizar apenas o que aprendeu. Sim, todos temos a capacidade de argumentar algo pela experiência vivida.

Quero evoluir como pessoa e com a sua permissão, ajudar você também nessa trajetória. Vamos aprender juntos. Vamos refletir juntos. Vamos vivenciar situações de uma maneira mais tranquila, sem afobações e imediatistas. Vamos construir nosso próprio caminho.

Refletir é um dever de todos. Comece em casa sozinho. Avalie o que fez, como fez, o que viu e o que faria se fosse o sujeito da ação. Pense nas ações presentes e esteja cada vez mais preparado para ações que passará no futuro.

Seja um cidadão que entende ter um comportamento mais assertivo, tranquilo e que sirva de exemplo aos que o rodeiam.

Então!! Vamos refletir juntos? Fique ligado toda 4ªfeira no canal do CurtyndoMais no YouTube. Te aguardo para o Chá de Reflexão!!

Até a próxima!!

Kaspersky Password Manager

Crie uma senha forte para sua conta

UMA VIDA MAIS LEVE AJUDA COMBATER A DOENÇA

Leia Também:

O melhor remédio é ficar sem remédio

Controle a sua alimentação com um diário

O Brasil anda sente a dor pela morte de Ricardo Eugenio Boechat. A comoção deve se manter por muito tempo. É verdade que o grande jornalista não era uma unanimidade, só que é verdade também, que mesmo os que o detestavam, hoje reconhecem o legado importante que ele deixou não apenas no jornalismo.

 A postura ética, a coragem de falar o que pensava, a preocupação primária pelo ouvinte, no qual se colocava sempre em seu lugar, são algumas dessas riquezas deixadas.

 Agora, quando falamos em bem-estar no mundo atual, nem mesmo os heróis ou os mais fortes resistem a doença do século. Sim, a depressão é algo que há muito tempo está em evidência na sociedade.

 O próprio Boechat assumiu ter passado pelo desafio de ver esse mal. E atire a primeira pedra quem não passou ou talvez nem saiba que é depressivo.

 E vamos ter calma. Ficar triste é normal e não é considerado depressão, mesmo quando esse comportamento se estenda por dias. A doença não escolhe sexo e nem idade para dar as caras.

 Essas são algumas causas da doença:

  • Perder o emprego,
  • Fim de um relacionamento
  • Falecimento de um parente ou amigo
  • Baixa-estima
  • Desinteresse nas atividades diárias

Então, fique atento ao seu comportamento e acredite, as possíveis causas incluem uma combinação de origens biológicas, psicológicas e sociais de angústia.

 Chegar nesse nível de estado nos resulta em mudanças na função cerebral, incluindo alteração na atividade de determinados circuitos neuronais no cérebro.

 A sensação persistente de tristeza ou perda de interesse podem alterar o sono, apetite, nível de energia, concentração, comportamento diário ou autoestima.

 No pior estágio, a depressão está ligada a pensamentos suicidas.

 E ainda bem que esse mal também tem cura.

  • Medicamentos, psicoterapia ou mesmo a combinação dos dois poderão ser recomendados pelo profissional de saúde.
  • Dependendo do estágio, os tratamentos podem levar semanas para fazer efeito.
  • Mudanças no estilo de vida como praticar mais atividade física e diminuir o consumo de bebidas alcoólicas colaboram para a melhora
  •  Mudar alguns hábitos – Um profissional de saúde é fundamenta para observar os sintomas por alguns dias.

Por mais desafiador que seja, avalie se não vale a pena respirar melhor, perdoar, agradecer e fazer o que tiver vontade sem medo de ser feliz. A vida é curta e não permite ensaios.

Seja o protagonista de sua história e vida.

 Vamos juntos alcançar a longevidade e viver novas experiências.

 Até a próxima!

Kaspersky Password Manager

 

Crie uma senha forte para sua conta

Kaspersky Password Manager

Crie uma senha forte para sua conta

O estresse faz parte do dia a dia e pode ser tratado com pequenas atitudes

Leia também

Dicas para evitar doenças no Outono

Previdência pode aumentar a sua renda na aposentadoria

 

E lá se foi o primeiro trimestre de 2018. Promessas nem sempre cumpridas, desafios, dívidas e objetivos a serem conquistados nos motivam a continuar em frente e de preferência sem estresse.

É bem verdade que dificilmente o estresse ficará longe do nosso dia a dia. Ok, então como lidar melhor com isso? Ora, cada ser humano tem um tipo de comportamento e reage diferentemente para cada tipo de situação. Agora se cada individuo souber lidar com os sinais fisiológicos do estresse, acredite, a sua longevidade será cada vez maior.

É claro que fica muito mais fácil entender os benefícios de não se estressar por qualquer coisa. O desafio é conseguir se controlar, sempre que for “testado”. Bem, tudo é questão de prática, e acredite, se você souber se beneficiar da energia criada pelo estresse, você será mais feliz.

É isso mesmo que você leu – os sinais fisiológicos do estresse podem te tornar uma pessoa mais preparada, confiante e menos ansiosa. Comece a se questionar com coisas do tipo ” Como posso usufruir da energia do estresse em um novo desafio e me sentir preparado para ele?”

Aqui vão algumas dicas para você melhorar seus níveis de estresse.

1 – Seja dono do seu tempo

Aprenda a fazer uma pausa, sempre que necessitar. Sim, quem não fica com um “pico” de ansiedade ou com a “sensação” de estar com muito mais obrigações do que poderia aguentar? Essa é a hora de relaxar, parar tudo que está fazendo e buscar entender o porque do estresse.  Tente comparar a situação com outra que ficou extremamente estressado e avaliar que tipo de lição teve para usar nessa atual? Quais os recursos poderia se utilizar para não estressar com qualquer coisa.

2 –  Tente se controlar

Avalie sua história de vida, suas convivências, os comportamentos que vivenciou para saber o porque do estresse. Lembre-se sempre que ninguém é obrigado a concordar com ninguém. Todos possuem escolhas e devem ser respeitados.

O que mais te estressa? Avalie seus hábitos. Procure algum tipo de ajuda para trabalhar melhor as suas habilidades a fim de ter mais tranquilidade em determinados conflitos do cotidiano.  Coloque-se no lugar do outro e como você lidaria com a situação se fosse o contrário.

3 – Entenda que nem sempre você está no comando

Muita das vezes nos desgastamos com situações que estão fora de nosso controle –  clima, falta de dinheiro, reação das pessoas e por aí vai. Mesmo assim queremos controlar tudo por acharmos capazes e com habilidades suficientes. Besteira, ao invés disso, precisamos entender que o que podemos fazer é interpretar os fatos e tentar separar o que é possível com nosso poder de influência e não sermos sempre controladores.

4 – Aprenda com os erros

Eu pago para ver se alguém aqui curte viver estressado ou passar por situações estressantes. Por mais desafiador que seja, vale tentar sempre que passar por uma situação ruim, não valorizar. Evitar achar que é só com a gente. Vale entender o que se tira com aquela situação. O que se aprendeu.  Com certeza você desenvolverá uma nova habilidade, pensará em novas ações e comportamentos daqui para frente.